Tricotado Minha História com Vera Barone

FacebookTwitterPinterestGoogle+WhatsApp

O “Tricotando Minha História” de hoje é com a Véra, uma mulher cheia de talento e com determinação para aprender sempre mais e mais.

Fiquem a vontade para ler, comentar, se inspirar e tricotar!!!

Obs: não iremos alterar nada no conteúdo enviado, nossa intenção é deixar o mais original possível, assim sentimos mais a energia compartilhada!

photo_vera_barone Nome: Véra Barone
Idade: 55 anos
Profissão: Secretária
Vício: Tricô
Desejo incontrolável: comprar fios para tricotar
Sonho de consumo: Kit de agulhas intercambiáveis de madeira Symfonie wood needles

“O tricô entrou na minha vida efetivamente, na época da primeira gravidez, através de minha sogra, tricoteira muito habilidosa, que me ensinou a fazer casaquinhos e sapatinhos de bebê.Foi uma paixão arrebatadora que me tirava o sono.

Passava dia e noite tentando fazer as coisas lindas que via nas revistas. Aliás muitas, muitas revistas Mon tricot, Nina e tantas outras…

Com a ajuda de minha sogra aprendi a fazer meinhas, sapatinhos e lindos casaquinhos para bebê. Mas eu queria mais, muito mais, queria aprender novas técnicas. Essa oportunidade veio no começo dos anos 80 quando nos mudamos para São Bernardo.

No meu bairro havia uma instituição da prefeitura que ministrava vários cursos de trabalhos manuais e lá fui eu para 5 longos anos de tricô com a querida professora Nely.

Uma parceria maravilhosa de muita informação e novas técnicas, além das amizades incríveis.

Nessa época, fui convidada pela prefeitura para partiicipar de uma feirinha de artesanato. Fazia uma blusa por dia, tamanha minha rapidez.

Foram anos delíciosos e inesquecíveis.

Em meados dos anos 90 nos mudamos para a região de São José do Rio Preto. Lugar quente, impossível de trabalhar com lã. Então comecei a descobrir a delícia de tricotar com algodão. Foram 10 anos de intenso apredizado de como trabalhar com esse material e fazer muitas blusas de verão. Experimentei tb o barbante, além de outras linhas que iam surgindo no mercado.

Em 2005,  nova mudança radical e dessa vez para o sul de Minas Gerais. Frio?
Era tudo o que eu precisava para reativar meu tricô, matar as saudades de fazer cachecóis, casacos e coletes…

E aí já havia outra ferramenta poderosa: a internet.

Não dependíamos mais de alguém para ensinar uma receita ou explicar um ponto, estava tudo lá em vídeos e PAPs, além de muitos grupos que timidamente começavam a se formar…quote_vera_barone

Então, foram horas e mais horas explorando tudo aquilo e interagindo com outras tricoteiras, descobrindo novas técnicas incríveis, fazendo amizades virtuais que se tornariam realidade num futuro próximo.

Num desses grupos fui apresentada aos xales de tricô. Eram peças maravilhosas deslumbrantes, com receitas em inglês, material importado e uma técnica completamente diferente de tudo o que conhecia.

Fiquei completamente enlouquecida… Um ano inteiro de muita atenção, pesquisando, lendo e traduzindo tudo, anotando dicas, até tomar coragem, comprar as primeiras agulhas circulares e tentar fazer o primeiro xale.

Muitos erros e recomeços depois, o grande momento chegou: a peça estava pronta e eu ali olhando para aquele xale e me sentindo a criatura mais feliz do universo por ter conseguido terminar.

Porque tricô nos ensina a sermos muito humildes. Ao descobrirmos um erro lá no começo da peça, entendemos naquele momento, que apesar de estar quase terminando precisamos desmanchar e recomeçar. Precisamos ter a coragem de aceitar que erramos e consertar o erro para que o trabalho fique perfeito.

E assim fazemos quantas vezes forem necessárias até ficar perfeito.

O prazer de ver uma peça produzida com suas mãos é indescritível…

Depois do primeiro xale, foi uma maratona de traduções de receitas e muitos outros foram tecidos e vendidos até para o exterior.

Hoje, participo juntamente com minha sogra das Arteiras de Santana, de Silvianópolis, MG. Um grupo de mulheres arteiras que faz artesanato para vender. Participamos de feitrinhas na região e levo meu tricô para que as pessoas possam ver e adquirir minhas peças e assim tenho uma outra fonte de renda.

Tenho minha página no facebook, www.facebook.com/verabarone, onde procuro retribuir de alguma maneira todo o carinho e atenção que tenho recebido ao longo de todos esses anos de pessoas maravilhosas que me ensinaram um  pouco daquilo que sabiam.

Tricotar me traz a paz que eu preciso para equilibrar a minha ansiedade.

Sou tão feliz por saber tricotar, por ter a capacidade de entender como funciona uma receita, como ler um gráfico, de aprender sempre!

Sou muito agradecida a todas as pessoas que me ensinaram cada passo, cada segredinho..

Obrigada pela oportunidade de contar um pouco de minha história com o tricô e relembrar momentos marcantes de minha vida.

Abraço apertado e sucesso no seu projeto!

Kisses

Véra “
tricotando_minha_historia_vera_barone

É ou não é uma história linda, emocionante e que nos confirma o bem que o tricô faz?
A Vera começou aprendendo peças básicas como a maioria, mas sua força de vontade levou seu desejo de aprender muito além do objetivo inicial!

Parabéns Véra, que você continue tricotando peças lindas, propagando essa técnica do coração! :*

E se você também gostou e quer compartilhar sua história é só enviar um email
para: contato@tricopassoapasso.com.br

“Tricotando Minha História” será postado toda quarta-feira, aqui no nosso site e nas redes sociais do Tricô Passo a Passo.

Grande abraço Tricoteiras :)

FacebookTwitterPinterestGoogle+WhatsApp

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.